“Numa manhã fria, quando o pão e o café foram servidos, fiquei olhando o líquido ralo, a mesma água suja e o pedaço de massa petrificada de todos os dias, e tudo o que passei naqueles dias, naqueles meses, ricocheteou na minha mente. Foi a primeira vez que senti a vertigem da loucura”.

Loucura e lucidez. Coragem e medo. Uma história sobre até onde vai a maldade humana, e a grandeza de quem decide enfrentá-la.

Narrado em primeira pessoa, o romance acompanha a trajetória de Cecília, uma garota de 15 anos que é rejeitada pela família após engravidar. Enviada ao Hospital Colônia de Barbacena, ela passará por todos os horrores relatados por pacientes reais, como fome e eletrochoques. Mas nada disso impedirá que ela busque sua liberdade e o filho que foi arrancado de seus braços ao nascer.

A história é inspirada em tantas outras tristes, e absurdas histórias reais do manicômio que ficou conhecido como parte do Holocausto brasileiro.

Apoie esse projeto!

Compartilhe:

Deixe um comentário: