Todos nós sentimos medo, faz parte de nossa condição humana. Tememos na mesma medida em que amamos, ou até mais. Mas diferente do amor, o medo nos paralisa, nos tira a voz, nos faz correr. Mesmo assim, todos nós conhecemos histórias que nos arrepiam, histórias que nos tiram o sono e nos fazem deixar a luz acesa. Histórias passadas de boca a ouvido, olho no olho, que contam fatos que aconteceram com o amigo do seu amigo, com o seu pai, sua avó ou sua irmã.

Histórias de lugares assombrados, espíritos esquecidos nessa terra por estarem presos aos locais em que viveram, ou quem sabe até, em busca de vingança. Não são poucos os relatos das almas de suicidas que ainda são encontrados nos lugares em que tiveram seus últimos suspiros.

Pior do que essas histórias que ouvimos, são as histórias que nós mesmos vivemos. Se você pensar bem, lembrará de alguma. Às vezes não precisa nem pensar muito, basta lembrar-se daquela janela que bateu sem vento, do prato que se quebrou “sozinho” ou daquele parente que apareceu para você poucos segundos após morrer no hospital. Não se engane, os relatos são reais.

A Antologia Histórias de fantasmas explora esses relatos, da volta de pessoas queridas ou nem tão queridas assim, bem como de locais que você não iria nem se te pagassem uma fortuna, e dos espíritos que os habitam.

Apoie esse projeto!

Compartilhe:

Deixe um comentário: