Skip to main content
Financiamentos

Estigmata

Por 3 de maio de 2022junho 20th, 2022No Comments

Estigmas são marcas que se manifestam fisicamente, mas que possuem, em verdade, origem espiritual. Pessoas reportadas como estigmatizadas costumam exibir feridas ou queimaduras em regiões como pés, mãos ou pulsos e tórax, as quais, de acordo com as crenças, representam os pontos que teriam sido pregados para sustentar o corpo de Jesus Cristo na cruz.

O estigmatizado mais famoso da história foi o religioso Francesco Forgione (1887-1968), também conhecido como Padre Pio. De acordo com os relatos, Padre Pio primeiramente notou as feridas surgindo em suas mãos no ano de 1910, o fenômeno progrediu até que o padre passasse a exibir todos os cinco estigmas completos, em 1918, enquanto rezava diante de um crucifixo na capela de seu monastério.

Mistérios e rumores acerca de Padre Pio eram incontáveis. Dizia-se que o padre seria capaz de voar e estar em dois lugares ao mesmo tempo. Existem relatos que os estigmas de Pio vinham acompanhados de um perfume milagroso.

Um fato curioso a ser levado em consideração é que, oficialmente, não existem casos conhecidos de estigmas pelos primeiros 1200 anos após a morte de Cristo, sendo o primeiro relato oficial atribuído a São Francisco de Assis (1182-1226).

Nesse cenário, é inevitável nos questionarmos se tais relatos não existiram antes do dito período, se apenas não eram conhecidos e, por conseguinte, não tenham sido documentados…, ou se foram deliberadamente ocultados.

Ao mesmo tempo em que estigmatizados nem sempre consideram sua condição como uma ameaça ou sofrimento, mas sim como uma clara demonstração do divino, as aparições de ditas marcas costumam ser acompanhadas por relatos de possessões demoníacas e exorcismos.

Seriam as aparições de tais flagelos de fato sinais da presença divina? Ou poderiam forças obscuras se valerem dos sinais de Cristo para atingirem objetivos nefastos?

Nesta antologia trazemos contos aterrorizantes, que relatam histórias de pessoas acometidas por estigmas, bem como as reações que tais marcas causam na comunidade que as circundam. Trazemos um pouco mais sobre as forças do mal que se escondem por trás das marcas da crucificação e o preço que os ditos estigmas cobram de seus portadores.

Apoie esse projeto!

Compartilhe: